quinta-feira, 22 de agosto de 2013

VENDAVAL..


 Chovia muito, e a senhora
 fechava portas e janelas
 pois o vento soprava forte.
 Lá fora, uma confusão,
 pequenos e grandes galhos
 voavam, de lá para cá,
 ao sabor do vendaval...
 A chuva caía e a senhora
 vagarosamente, caminhava,
 pensando,... pela casa.
 Procurava um vão que
 pudesse estar aberto...
 Deu-se conta, então, a senhora,
 que outro vendaval
 eclodia furiosamente e entrava
 pela porta das suas recordações.
 Ela sentou-se, e sozinha, ficou
 ouvindo a chuva que aumentava.
 Reviveu tudo novamente...
 Viu a casa cheia de vida,
 familiares indo e vindo, festas,
 reuniões de fim-de-semana,
 brincadeiras de crianças...
 Viu tudo, num repente,
 bem antes da presente realidade,
 num vendaval de lembranças.
 Então, dos seus velhos olhos,
 choveram lágrimas de saudade!

 Rui E L Tavares



Nenhum comentário:

Postar um comentário