quinta-feira, 23 de maio de 2013

A chuva, lavando a alma!.






E a chuva, a chuva...

 (...) luzes apagando
 e a chuva, a chuva
 acendendo a casa,
 conversando a luz de velas
 desnudando sentimentos,
 vestindo aquarelas;
 e a chuva, a chuva
 molhando e beijando
 as rosas tão belas;
 o coração ensaiando
 uma canção de ninar,
 misturando lembranças
 passando e ficando,
 fazendo sorrir ou chorar;
 e a chuva, a chuva
 nos lençóis a cantar
 lavando a alma
 trazendo emoção
 de recomeçar;
 e a chuva, a chuva
 serena pequena
 fazendo sonhar e amar
 nas águas do teu olhar.

 Marisa de Medeiros
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário