sexta-feira, 14 de junho de 2013

Parado no tempo...


  • Parado no Tempo…

Passava pouco das 5h da manhã
Acordei, percebi que não conseguia voltar a adormecer
Levantei-me, vagarosamente fui até á marquise, sentei-me
Acendi lentamente um cigarro
Por entre o fume que subia, devagar, preguiçoso
Olhei em redor pelas janelas, estores levantados
Aquela hora da noite que a escuridão vai fugindo
Hora do dia em que a claridade espreita tenuemente
As trevas vão dando lugar ás sombras
Dei conta, a essa hora consegui escutar plenamente o silêncio
Nem os carros que costumavam passar em louca correria
Que por vezes me atormentavam a noite inteira na estrada ao lado
Nem os pássaros se faziam ouvir ainda
Nesse momento, tive noção
Nesse instante, mágico
O Mundo estava parado
Saboreei aquele cigarro
Sem noticias de guerras, de acidentes
Ate mesmo de outras desgraças
Só o fumo que subia lentamente
Fechei os olhos…
Despertei, o cigarro a queimar-me os dedos
Ali, apenas eu, a tua imagem que me invade os sentidos e o mundo, parado
Instante mágico, simplesmente mágico
Voltei para a cama, dormias
Fiquei longos minutos, muitos…
Apenas a observar-te a dormir
Tive noção, não é todos os dias que temos essa oportunidade
Apreciar o sono de Um Anjo…
O Meu Anjo…

Carlos L Fonseca
14-06-2013


 Passava pouco das 5h da manhã
 Acordei, percebi que não conseguia voltar a adormecer
 Levantei-me, vagarosamente fui até á marquise, sentei-me
 Acendi lentamente um cigarro
 Por entre o fume que subia, devagar, preguiçoso
 Olhei em redor pelas janelas, estores levantados
 Aquela hora da noite que a escuridão vai fugindo
 Hora do dia em que a claridade espreita tenuemente
 As trevas vão dando lugar ás sombras
 Dei conta, a essa hora consegui escutar plenamente o silêncio
 Nem os carros que costumavam passar em louca correria
 Que por vezes me atormentavam a noite inteira na estrada ao lado
 Nem os pássaros se faziam ouvir ainda
 Nesse momento, tive noção
 Nesse instante, mágico
 O Mundo estava parado
 Saboreei aquele cigarro
 Sem noticias de guerras, de acidentes
 Ate mesmo de outras desgraças
 Só o fumo que subia lentamente
 Fechei os olhos…
 Despertei, o cigarro a queimar-me os dedos
 Ali, apenas eu, a tua imagem que me invade os sentidos e o mundo, parado
 Instante mágico, simplesmente mágico
 Voltei para a cama, dormias
 Fiquei longos minutos, muitos…
 Apenas a observar-te a dormir
 Tive noção, não é todos os dias que temos essa oportunidade
 Apreciar o sono de Um Anjo…
 O Meu Anjo…

Carlos L Fonseca
 14-06-2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário